Chemical Risk

atendimento@chemicalrisk.com.br
+55 (11) 4506-3196 / (11) 94732-0686 / (11) 94706-2278

Por que treinar os funcionários no uso da proteção coletiva?

A segurança dos colaboradores é uma das maiores preocupações de um gestor. E alcançar um ambiente de trabalho seguro é um desafio, porém, é imprescindível em qualquer área de atuação. Isso porque, além de fornecer bem-estar aos que ali exercem suas atividades, previne a ocorrência de acidentes. Uma das formas de atingir esse objetivo é por meio da proteção coletiva

A implementação dos Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) tem como principal característica a mitigação de acidentes para todos os colaboradores de um determinado ambiente de trabalho, reduzindo os riscos a que estes estão expostos. O que significa que a proteção é coletiva. 

Dessa forma, diferentemente dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) que são “vestidos” pelos colaboradores, os EPCs são instalados no ambiente de trabalho. Por exemplo: no ambiente de produção ou nos postos de trabalho. Além disso, eles podem ser fixos ou móveis. 

Leitura recomendada: É possível zerar os acidentes de trabalho na empresa? Veja 5 cuidados!

Tipos de equipamento de proteção coletiva

Os EPCs podem proteger contra os mais diversos tipos de riscos existentes no local de trabalho, como os riscos químicos, físicos, biológicos ou ergonômicos. 

A lista de riscos que existem em um ambiente de trabalho é extensa. Cada ambiente de trabalho ou diferentes atividades industriais tem suas exigências quanto ao tipo de EPCs necessários ou indicados para reduzir os impactos nos trabalhadores. 

A seguir, citamos alguns tipos de EPCs que são frequentemente instalados em diferentes segmentos industriais ou ambientes de trabalho:

  • Kit para limpeza 

Serve para o caso de derramamento biológico, químico ou radioativo.

  • Chuveiros de emergência, lava-olhos, entre outros 

Utilizado em locais onde existe o manuseio de produtos químicos e risco de contato com esses produtos.

  • Ventilação local exaustora 

É um dos sistemas mais eficazes para prevenir a contaminação do ar na indústria. O princípio em que se baseia é o de capturar o contaminante no seu ponto de origem, antes que atinja a zona respiratória do trabalhador, usando para isto a menor quantidade de ar possível.

  • Capela Química

Trata-se de um equipamento para locais onde se manuseiam produtos químicos, por exemplo em laboratórios químicos, protegendo o colaborador de possível exposição e consequente inalação de produtos químicos e, ao mesmo tempo, protege o ambiente de trabalho de contaminação.

  • Exaustores, sistemas de ventilação e de controle de temperatura

Utilizados em locais em que o trabalhador é exposto a temperaturas elevadas em ambientes fechados.

  • Redes de proteção, guarda corpo e corrimão

As redes de proteção evitam quedas, tanto de colaboradores como de objetos que possam atingir os mesmos. O guarda corpo tem como função garantir a segurança dos colaboradores, em caso de existência de um desnível. Já o corrimão serve de apoio para quem sobe ou desce os degraus, e/ou quem caminha por rampas e passarelas.

  • Detectores de fumaça e Sprinkles

São usados em qualquer local comercial, industrial, entre outros, para as situações de prevenção em caso de incêndio.

  • Isolação acústica

A empresa deve usar em caso de exposição dos trabalhadores a ruídos constantes que podem ser danosos à audição.

  • Sinalização (Cones, placas etc.)

Trata-se de objetos de sinalização para qualquer possível risco no ambiente, como um buraco, um piso escorregadio etc.

  • Kit de primeiros socorros 

Deve possuir todos os itens básicos necessários em caso de um acidente.

Leitura recomendada: Equipamentos de proteção coletiva: o que são e para que servem?

Por que aliar a proteção coletiva e a individual?

A utilização de EPI e EPC tem como foco minimizar ou eliminar os riscos inerentes às atividades realizadas pelos colaboradores da empresa, garantindo a segurança da equipe. É importante salientar que a preocupação com ambas as formas de proteção deve existir, pois cada uma possui um propósito específico e uma não elimina a outra.

Isso significa dizer que, mesmo que um colaborador utilize seus equipamentos de proteção individual, como capacete, respirador e botas, é necessário utilizar os itens de proteção coletiva, como cones, correntes e alertas, para indicar os riscos e evitar acidentes. 

Portanto, a aplicação de apenas uma das proteções ou outra não é capaz de proteger a maior parte dos riscos inerentes a uma operação.

A importância de se utilizar os equipamentos de segurança em conjunto é grande, pois somente assim é possível preservar a saúde e a segurança de forma ampla. Cabe a cada empresa avaliar quais deles são necessários de acordo com o tipo de atividade que realizam, por meio de um reconhecimento de riscos detalhado.

Saiba mais: Avaliação dos riscos químicos: entenda como funciona a análise quantitativa

Qual a importância do treinamento para uso da proteção coletiva?

Apenas a implantação do EPC adequado não basta para que a proteção seja efetivada. Outro detalhe muito importante é a etapa do treinamento e capacitação dos colaboradores para o uso correto dos equipamentos de proteção coletiva. 

E aqui vale a mesma dinâmica que se aplica aos EPIs. Se o colaborador não souber qual a função e como usar corretamente o EPC, então, a segurança do ambiente estará comprometida e, o que é pior, existirá uma falsa sensação de proteção.  

O treinamento deve contemplar a obrigatoriedade de utilização dos EPCs em todas as circunstâncias. Além disso, essa capacitação deve explicar:

  • Em quais atividades os EPCs são necessários;
  • Qual a maneira correta de utilização de cada um deles;
  • Como fazer a limpeza e a manutenção adequada;
  • Como avaliar a capacidade de operação dos equipamentos;
  • Entre outros tópicos.

Afinal, de nada adianta ter um sistema de exaustão eficiente se for utilizado incorretamente. O mesmo se aplica aos lava olhos e chuveiros de emergência, armários corta fogo e a todos os equipamentos. 

Como avaliar se os EPCs são bem usados e conservados?

O profissional de segurança do trabalho pode adotar um checklist simples para avaliar os procedimentos ou cuidados adotados com os EPCs. Este documento pode conter perguntas como:

  • Existem procedimentos de manutenção, operacionalização e uso do EPC no ambiente de trabalho?
  • Com qual frequência é realizada a avaliação do equipamento de proteção coletiva?
  • Quais são as limitações ou defeitos do equipamento de proteção coletiva no ambiente de trabalho e quais atividades realizadas pelas pessoas ou trabalhadores?

Os Equipamentos de Proteção Coletiva desempenham um papel fundamental para a diminuição dos acidentes de trabalho. E, como qualquer outra medida preventiva, o uso do EPC reduz o número de afastamentos, evita multas, aumenta a produtividade e melhora a qualidade de vida do colaborador. 

3 principais vantagens com aplicação do EPC

Algumas das principais vantagens que as empresas podem alcançar com a implantação do equipamento de proteção coletiva são:

  • O custo dos EPCs é mais baixo do que arcar com acidentes e suas medidas preventivas são de longo prazo pelo fato de serem instalados no local e ali permanecerem;
  • Além de proteger os colaboradores, protege também qualquer outra pessoa que, por algum motivo, esteja no ambiente em questão;
  • Também temos a obrigação legal, pois, em caso de algum acidente, se for constatado que a empresa não fornecia as medidas de proteção coletiva adequadas, ela será responsabilizada pelo ocorrido.

A proteção dos trabalhadores deve ser uma prioridade de qualquer empresa. Portanto, atente-se a isso: o bem-estar e a qualidade de vida dos seus colaboradores é essencial para o bom desempenho da empresa.

Precisa de ajuda para avaliar os riscos existentes na sua empresa?

Como falamos, antes de adotar os equipamentos de proteção coletiva apropriados, é fundamental fazer um mapeamento e verificação completa dos riscos existentes no ambiente de trabalho da sua empresa. Assim, é possível definir quais os EPCs e EPIS necessários, além de outras medidas a serem tomadas para garantir a segurança de todos.

Para fazer a avaliação correta, conte com uma consultoria especializada em segurança do trabalho e segurança química, como a Chemical Risk.

Atuamos em toda a cadeia de gestão do risco químico, fazendo análise dos locais de trabalho, dos produtos manuseados e armazenados, da exposição dos colaboradores e muito mais.

Com isso, conseguimos entregar um relatório completo do cenário atual da sua empresa e do que fazer para ter uma ambiente seguro, protegido e dentro da legislação.

Temos experiência de mais de 10 anos no setor, profissionais altamente qualificados e fornecemos serviços de excelência para nossos clientes, comprovados por nossos cases de sucesso.

Quer saber mais sobre nossos serviços? Acesse aqui e solicite um orçamento gratuito!

Gostou deste artigo?

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter
Share on linkedin
Share on Linkdin
Share on pinterest
Share on Pinterest

comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *