Chemical Risk

+55 (11) 4506-3196 / (11) 94706-2278

Equipamentos de proteção coletiva: o que são e para que servem?

Estamos muito familiarizados com o termo EPI (equipamentos de proteção individual). Porém, quando nos referimos ao EPC, ou equipamentos de proteção coletiva, muitas vezes existe uma incerteza quanto a essa sigla. 

Por isso, vamos explicar do que se trata esse tipo de equipamento e a sua importância para as empresas.

O que é um EPC?

Os Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC) são utilizados de forma coletiva, com o objetivo de proteger a saúde e a integridade física dos profissionais que trabalham em ambientes que apresentam riscos. 

Esses equipamentos podem proteger contra os diferentes tipos de riscos que vão desde os riscos químicos, físicos, biológicos e também ergonômicos. 

Em determinados casos, a falta do EPC pode significar a interdição do projeto ou da empresa, em caso de fiscalização do Ministério Público. 

A principal característica dos EPCs é a prevenção de acidentes tanto dos colaboradores, como também de outras pessoas presentes no local de trabalho. Como consequência, é possível minimizar perdas e aumentar a produtividade da empresa, graças à melhora nas condições de trabalho.

Leia também: Riscos dos produtos químicos no ambiente de trabalho: legislação e penalidades

Qual a obrigatoriedade na adoção do EPC?

As Normas Regulamentadoras 4 e 9 do Ministério da Economia fazem referência ao uso dos equipamentos de proteção coletiva. 

Conforme a NR-4, o SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho) é o responsável por aplicar o seu conhecimento em saúde e segurança do trabalho. O objetivo é reduzir ou, se possível, eliminar os riscos existentes em todos os ambientes de uma determinada empresa.

Caso os meios de neutralização e eliminação estejam esgotados, também cabe ao SESMT determinar quando é necessário utilizar e qual é o EPC adequado para aquela função.

A NR-9, por sua vez, discorre sobre o PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais). De acordo com essa norma, durante o processo de identificação dos riscos, é necessário que sejam descritas todas as medidas de controle já existentes, incluindo, por exemplo, o uso do EPC e do EPI (Equipamento de Proteção Individual).

O item 9.3.5.2 destaca que a utilização dos equipamentos de proteção coletiva e de outras medidas de segurança coletiva devem ser vistas como prioritárias pelas empresas. Enquanto isso, o uso do EPI deve ser adotado apenas em último caso. E aqui fica clara a aplicação da hierarquia de adoção de medidas de segurança. 

Quais os tipos de equipamentos de proteção coletiva?

Os EPCs possuem a vantagem de proteger todos os funcionários ao mesmo tempo, pois todos usam ou são beneficiados pelo equipamento. 

São exemplos de equipamentos de proteção coletiva:

  • Sistemas de ventilação e exaustão;
  • Proteção de circuitos e equipamentos elétricos;
  • Proteção contra ruídos (isolantes acústicos) e vibrações;
  • Sensores de presença;
  • Corrimão;
  • Fitas antiderrapantes de degrau de escada;
  • Ventiladores;
  • Iluminação;
  • Piso antiderrapante.
  • Barreiras de proteção contra luminosidade e radiação;
  • Guarda-corpos;
  • Protetores de máquinas;
  • Sirene de alarme incêndio;
  • Cabines para pintura
  • Chuveiro e lava olhos de emergência.

Leitura recomendada: Riscos químicos no trabalho: como funciona a avaliação qualitativa

Por que o EPC é importante na Saúde e Segurança do Trabalho?

Primeiramente, o uso dos equipamentos de proteção coletiva possui um papel fundamental para que ocorra uma diminuição no número de acidentes de trabalho e de doenças ocupacionais. 

O Brasil permanece na quarta posição entre os países com maior número de acidentes e, de acordo com a Previdência Social, registra cerca de 700 mil acidentes ao ano. No entanto, o país vem apresentando uma ligeira melhora, que pode ser creditada, em parte, à crescente importância dada ao uso do EPC e do EPI.

Como consequência, a queda no número de acidentes de trabalho e dos casos de doenças ocupacionais faz com que as empresas passem a aumentar a produtividade graças a uma diminuição de funcionários afastados.

Além disso, os equipamentos de proteção coletiva não precisam ser trocados com frequência, exigindo apenas o investimento inicial para adquiri-los e sua manutenção periódica.

O que se observa também é que o uso contínuo do EPC pode auxiliar na melhora do desempenho profissional. Isso porque, ao utilizarem os equipamentos, os trabalhadores se sentem mais seguros dentro do ambiente de trabalho. O que também contribui para aumentar a motivação e, consequentemente, a produtividade desses profissionais.

Dicas para o uso dos equipamentos de proteção

É importante lembrar que os equipamentos de proteção coletiva devem ser usados com responsabilidade. Portanto, seguem algumas dicas importantes:

  • Usá-los apenas para a finalidade a que se destinam.
  • Responsabilizar-se por sua guarda e conservação.
  • Comunicar qualquer alteração que o torne impróprio para o uso.
  • Adquirir o tipo adequado à atividade do empregado.
  • Treinar o trabalhador sobre seu uso adequado.
  • Tornar obrigatório seu uso.
  • . Substituí-lo quando danificado ou extraviado.

Logo, fica evidente a importância do EPC quanto à Saúde e Segurança do Trabalho (SST), sendo essa uma das formas mais eficazes de se prevenir os acidentes e as chamadas doenças ocupacionais.

Conheça a Chemical Risk

Agora que você já sabe a importância dos equipamentos de proteção individual para sua empresa, é fundamental saber se você já usa os EPCs corretos e quais devem ser implementados.

Precisa de ajuda? Conte com a consultoria especializada da Chemical Risk! Com profissionais experientes e com conhecimento da área, oferecemos soluções para Saúde e Segurança Ocupacional e para gestão, prevenção e controle dos riscos ambientais.

Entre os nossos principais serviços, estão:

Além disso, contamos com treinamentos in company voltados para a segurança do trabalho.

Assim, você garante o treinamento e a proteção dos seus colaboradores, evita acidentes e elimina os riscos ambientais.

Quer saber mais informações? Entre em contato conosco agora mesmo e solicite um orçamento!

Gostou deste artigo?

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter
Share on linkedin
Share on Linkdin
Share on pinterest
Share on Pinterest

comentar

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.