Chemical Risk

atendimento@chemicalrisk.com.br
+55 (11) 4506-3196 / (11) 94732-0686 / (11) 94706-2278

Gestão do risco químico – 7 dificuldades na implantação de ações preventivas

É fato real que os trabalhadores diariamente enfrentam situações caracterizadas, muitas vezes como, perigosas e que os expõe a diversos tipos de riscos. Entre os mais perigosos, podemos citar os riscos químicos. Por isso, é essencial fazer a correta gestão do risco químico.

Vale destacar que o risco químico está relacionado à manipulação dos agentes químicos no dia a dia do trabalho e a consequente exposição aos mesmos. Isso pode gerar a ocorrência de acidentes nas mais diversas situações, além de problemas à saúde dos trabalhadores, que muitas vezes só serão percebidos a longo prazo.  

Nesse contexto, fica claro que realizar o controle de riscos ocupacionais é de fundamental importância. Afinal, se trata de uma medida essencial para garantir a proteção dos profissionais.

Leitura recomendada: Saiba tudo sobre a avaliação da exposição ocupacional aos agentes químicos 

E como fazer a gestão do risco químico? 

Inicialmente, vamos relembrar o que são os agentes químicos. Esses agentes nada mais são do que as substâncias e produtos químicos que podem penetrar no organismo, através da via respiratória na forma de gases, vapores ou poeiras (particulados). Também pode ocorrer a absorção através da pele e a ingestão acidental. 

Em função dos diversos aspectos que um agente químico pode se apresentar, a proteção do trabalhador deve ser uma preocupação constante no sentido de se minimizar ao máximo a exposição a esses agentes. 

A melhor forma de controlar os riscos químicos existentes no ambiente de trabalho é por meio da gestão do risco químico na sua forma mais ampla.

Como funciona o gerenciamento do risco químico

A gestão do risco químico envolve a identificação dos riscos de natureza química presentes no local de trabalho. A partir daí, é possível recomendar controles para reduzir a exposição e minimizar os danos aos trabalhadores. 

Fica claro então que os riscos devem ser gerenciados em todos os aspectos do ciclo de vida do produto químico dentro da empresa. E a abrangência da gestão do risco químico compreende a:

  • Segurança ocupacional;
  • Segurança de processos;
  • Proteção ambiental;
  • Medidas de cuidado no transporte.

Dessa forma, as ações preventivas podem ser tomadas para reduzir os danos.

Leitura recomendada: Como mapear o risco químico na sua empresa e fazer uma gestão responsável

Quais os benefícios da gestão de produtos químicos?

Com a implementação da gestão do risco químico dentro de uma organização, podemos citar inúmeras vantagens, como por exemplo:

  • Conformidade em relação aos requisitos legais;
  • Melhoria dos processos em função da adoção de medidas preventivas;
  • Proteção da saúde dos colaboradores;
  • Ambiente de trabalho mais saudável e seguro;
  • Ganho de imagem frente ao mercado e opinião pública;
  • Aumento da confiança dos colaboradores na empresa, o que se traduz em ganho econômico real.  

Em resumo, a integridade da equipe contribui para manter um bom clima organizacional, evita processos judiciais e garante a saúde e a qualidade de vida para o trabalhador. Ou seja, a empresa só tem a ganhar com tudo isso.

Quais as dificuldades no controle do risco químico e nas ações de prevenção?

Muitas vezes acontece que, mesmo seguindo todas as etapas para a gestão do risco químico e com a implantação das medidas de controle e de prevenção, o resultado ficou aquém das expectativas. O que pode ter acontecido?

Seguem alguns pontos de atenção que devem ser verificados nesse processo.

  1. Envolvimento da alta direção da empresa e dos colaboradores 

O sucesso de um processo dessa natureza tem início na conscientização da empresa em primeiro lugar e dos colaboradores. Uma vez que, se não houver disposição, participação e comprometimento de todos os envolvidos, a começar pelo nível gerencial da empresa, os resultados alcançados serão limitados. 

E, como consequência, haverá um baixo desempenho na manutenção das medidas implementadas.  

  1. Falta de procedimentos documentados e organizados  

Os procedimentos devem conter de forma simples a descrição de cada processo das atividades, apresentando os riscos a que estarão expostos e as ações de proteção. Isso permitirá a padronização das informações e o conhecimento de toda a equipe envolvida diretamente em cada atividade. 

Os procedimentos devem estar sempre disponíveis para consulta e devem ser revisados continuamente. 

  1. Falta da comunicação de perigos nas embalagens de produtos químicos

A legislação atual exige que os rótulos dos produtos químicos possuam informações sobre os perigos dos mesmos e essas informações são padronizadas. 

O que ainda hoje se verifica é que, muitas vezes, essas informações são incompletas ou não se apresentam da forma exigida, prejudicando o entendimento e a correta avaliação posterior do risco. 

Leitura recomendada: Riscos químicos no trabalho: como funciona a avaliação qualitativa

  1. Falta de informações adequadas sobre a toxicidade, quantidade e qualidade dos produtos químicos 

Neste item, estamos nos referindo à qualidade das Fichas de Informação de Segurança de Produto Químico (FISPQ). Isso porque, apesar da existência da série das normas ABNT NBR 14725, que definem todas as exigências quanto à elaboração das FISPQs, Classificação de perigo e Rotulagem, essas informações ainda deixam muito a desejar. 

  1. Falta de treinamento apropriado 

Este é um dos itens mais relevantes para o sucesso de todo o processo de gestão do risco químico. Os colaboradores devem ser treinados em relação aos procedimentos já citados, no entendimento das informações que constam nas FISPQs e nos rótulos das embalagens, bem como em todas as ações preventivas adotadas. 

Dessa forma, os colaboradores se sentirão pertencendo a todo o processo e o engajamento será natural.  

  1. Falta de recursos financeiros para a implantação das melhorias

Um processo dessa natureza é de longo prazo e, consequentemente, exige planejamento. Muitas das ações de melhoria dizem respeito à revisão e à atualização de procedimentos, atualização de documentação, treinamentos etc. O que não exige altos investimentos para sua realização. 

Um plano de ação bem elaborado, integrando todas as partes envolvidas, permitirá o estabelecimento de prazos reais de acordo com um planejamento prévio. 

  1. Falta de conhecimento e comprometimento dos setores ligados à área de prevenção de acidentes na empresa

A falta de conhecimento ressalta a necessidade de treinamento. Porém, os resultados da empresa em relação à Saúde e Segurança do Trabalho mostram a necessidade de ações de melhoria e consequente atualização nessas questões. 

Esse tipo de demanda, muitas vezes, deve partir da alta direção da empresa. E a subordinação da área de Segurança e Saúde do Trabalho diretamente à alta direção é um aspecto importante para que os objetivos de SST sejam mais eficazmente alcançados. 

Como você pode concluir, a gestão de riscos nas organizações vem da necessidade de implantação de um programa específico. Assim, os gestores podem contemplar adequadamente todos os produtos perigosos, adotar procedimentos de avaliação, controle e comunicação adequados.

Vale lembrar que este gerenciamento deve ser um processo contínuo que garanta a integridade de seus colaboradores e da empresa.

Leia também: Por que sua empresa precisa investir na gestão do risco químico? Entenda os objetivos 

Como uma consultoria de gestão do risco químico pode ajudar?

Para te ajudar em todo o processo de gestão do risco químico e para superar as dificuldades na implantação de medidas preventivas, conte com uma consultoria especializada no assunto.

A Chemical Risk está pronta para auxiliar o seu negócio em todos os momentos do controle do risco químico. Enquanto fazemos toda a avaliação e indicamos as ações a serem tomadas, você pode ficar focado no seu core business.

No final, você verá muito mais resultados com a garantia de minimização de acidentes, maior segurança dos trabalhadores, melhor conhecimento dos riscos envolvidos e compliance com a legislação.

Com profissionais experientes e especializados, oferecemos diversos serviços na área de segurança química, incluindo toda a consultoria e gestão do risco químico. 

Quer saber mais? Entre em contato conosco e peça um orçamento gratuito.

Gostou deste artigo?

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter
Share on linkedin
Share on Linkdin
Share on pinterest
Share on Pinterest

comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *